05 dezembro 2016

Londres

O fim de semana grande em Londres... Bora lá?
Diz-me a M. 
E eu, que sou uma pessoa fácil, lá respondi que sim. Vamos lá!




















Ir a Londres, 4 dias, em Dezembro.
Não apanhar chuva. 
Não apanhar frio insuportável. 
E apanhar 2 dias de Sol.
Poder passear pelas ruas e ver tudo o que é mercados de Natal.
Foi muito bom!

29 novembro 2016

25 de Novembro

Estou a sair de uma loja e dizem-me:

- Boas Festas!

É de mim, ou da idade que já habita em mim, mas cada vez menos acho piada a esta antecipação do Natal. Eu adoro o Natal. O espírito que se vive nesta altura. A alegria das pessoas. A solidariedade que aumenta (sim, aumenta nesta altura o que deveria acontecer o ano todo. Mas haver um aumento que seja já não é nada mau).
Mas a questão é que antecipar tudo isto, está apenas associado à antecipação das compras. O comércio cada vez mais tenta que as pessoas comprem mais cedo. E eu, tenho cada vez mais vontade de comprar menos. Ou porque tudo o que quero não se embrulha.
Com isto tudo, tenho até algum receio que ao viver esta euforia do Natal cada vez mais cedo, mais cedo também se deixe de achar piada. Ao invés de haver 1 mês de luzes, brilhos, partilhas, alegrias,... começam a ser quase 2 meses. 

Há que ter calma. Viver as coisas quando elas são. E pelos melhores motivos.

A Pequena Sereia - o musical


Fomos no Domingo ver o musical "A Pequena Sereia" do Filipe La Féria.
Um espetáculo muito giro. Adoro os adereços e a caracterização dos personagens. 
De tudo, o que é que a minha filha mais gostou?

- Do beijo na boca do príncipe e da Pequena Sereia!
Bonito!


Aproveitamos o dia de sol e fomos mais cedo, almoçamos por Lisboa, passeamos no Chiado, comemos castanhas assadas e fomos ver o Pai Natal e algumas decorações das ruas.
Lisboa fica ainda mais bonita nesta altura do ano.


1 mês!

Há 1 mês que não escrevo. Não foi pensado ou propositado. Apenas um conjunto de factores. Falta de tempo, falta de vontade, falta de assunto.
Este último talvez nem tanto. Talvez seja mais falta de vontade de partilhar.
Vou partilhando mais pelo instagram.
Mas regressei, acho.

Não tenho muitas novidades deste último mês,
O trabalho continua muito o mesmo.
A Carlota continua atrevida e cada vez mais arisca.
Eu continuo na mesma. 
Ah! Na mesma não... cortei 15 cm de cabelo.
Eu sei... isso não é nada. Mas para quem me conhece, sabe o que me custou. (Na verdade nem me custou nada). Eu era sou daquelas que há 20 anos corta 3 cm de cabelo de cada vez e acha sempre que a cabeleireira se esticou com a tesoura. :)
Mas sabem que mais? Sinto-me bem! 

Ou então é porque estou quase quase a ir de fim de semana grande!! 

29 outubro 2016

Ah este mês de Agosto...


Não?! Estamos quase em Novembro e já é Natal em tudo o que é comércio?!
E fui correr a noite com 25°?!
Faz sentido! 

23 outubro 2016

Os dias da Carlota #39

Í

Felicíssima por ter umas botas! Esta completamente in love! E eu também! 


Na casa dos bivós. 
"Mamã deixa-me levar o pintinho para nossa casa!" :))

17 outubro 2016

A Carlota foi às vacinas

Há duas semanas foi levar a vacina da gripe.
Depois de todo o espectáculo que foi o ano passado para levar a vacina da gripe (fugiu-me da sala aos berros) este ano estava receosa.

Correu lindamente. Nem uma lágrima. Super calma.
Um orgulho.

Hoje foi levar as vacinas do plano nacional de vacinação. Duas.
Estava super entusiasmada.

- Vou levar uma vacina mamã?
- Vais!
- Yeeehhh
- ?!?!?!
- E o papá vai ver?
- Sim, vai lá ter connosco.
- Ainda bem...
- Porquê filha? Queres mostrar ao papá que és muito corajosa?
- Não... eu quero furar as orelhas... e o papá só me deixa se eu não chorar nas vacinas.

Para que conste. Aos 5 anos são duas vacinas. A primeira correu lindamente. A segunda... bom, digamos que veio outra enfermeira certificar-se que não estávamos a matar a miúda, tal a gritaria!

Palavras que podiam ser minhas

"às vezes, a vida obriga-te a desistir de certas pessoas. obriga-te a deixar para trás a culpa mais pesada que podes carregar: a que não é tua. obriga-te a saber de cor a única obrigação que tens para com ela: ser feliz. e obriga-te a nunca esquecer que não podes mudar os outros, mas podes sempre mudar o que esperas dos outros.
quando andas perdida entre tantos entretantos, quando percebes que o teu final feliz começa no ponto em que perdes o tecto, vai. mesmo que leves o medo, vai. porque quando conseguires dar esse passo, só tens de levantar os olhos e ganhar as estrelas."
Aqui.
E é sempre por esperar tanto dos outros que me espalho ao comprido. É por acreditar que os outros são como eu, que me atiro de cabeça. E é principalmente porque desistir não é uma palavra que me deixe feliz. E assistir a cobardias tontas deixa-me enjoada. A não ser que, as cobardias sejam apenas uma desculpa para a falta de honestidade. Que mais enjoada me deixa.


14 outubro 2016

...

Há dias em que me apetece arrancar o coração do peito. 
Literalmente.

05 outubro 2016

Eu!


02 outubro 2016

Ahahahaha


Há quem diga que estou sempre a rosnar....mas também mordo! 
Ahhh se mordo! 

Não há cá merdas!


Nem meios termos! 

01 outubro 2016

#osquarentadogera



Foi hoje e foi tão giro! 

E a Comporta estava maravilhosa! 

Em Oeiras, finalmente!

Oeiras já tem treinos de corrida organizados, com apoio técnico, numa parceria com a Câmara Municipal de Oeiras. 
É gratuito e acontece todos os Sábados, às 9h, com partida junto à Marina de Oeiras, com diferentes níveis de intensidade e distância de treino. Há para todos os gostos. 

O ORA - Oeiras Running Academy, teve hoje o 1º treino. 
Infelizmente tive de treinar mais cedo e não pude ir, mas para a semana conto lá estar. 

Espreitem mais aqui.

29 setembro 2016

Eu sonhava...


A Santa Casa da Misericórdia da Vila do Bispo, em Sagres, teve a iniciativa de celebrar o dia do sonho de uma forma muito especial.

Cada idoso teve a possibilidade de completar a frase "Eu sonhava..." , escrita numa ardósia.
Há sonhos quase impossíveis, outros nem tanto. Mas existem sonhos que me deixam tão triste.
"...que o meu filho me visitasse" ou "...conhecer as minhas netas" não são sonhos difíceis. Podem até ser difíceis, por distância geográfica, mas... custa-me conceber que existem filhos que não visitam os pais nos lares. Dói-me este abandono.

Depois comovem-me sonhos como "ir ao jardim zoológico", "voltar a casa", "voltar à horta", "voltar a ter esposa" ou "voltar a escrever poesia". 
São sonhos. Toda a gente os tem. E em todas as idades. A idade não nos tira a capacidade de sonhar. E isso é bom.

Podem ver aqui.